top of page

VAR do Mercado - Copa do Mundo FIFA 23 na mídia esportiva: Onde assistir aos jogos da nossa Seleção?

Estamos em semana de Copa do Mundo e na coluna “VAR do Mercado” de hoje, trago um panorama sobre a mídia esportiva na maior competição esportiva do ano.


O troféu da Copa do Mundo Feminina da FIFA e a bola oficial, Oceanuz, no Estádio Eden Park, Auckland. Reprodução: FIFA

Finalmente chegamos a um dos momentos mais esperados de 2023: a Copa do Mundo Feminina da FIFA, realizada na Austrália e Nova Zelândia. De 20 de julho até 20 de agosto, 32 seleções irão brigar pela taça e a Seleção Brasileira estará em campo em busca da primeira estrela no emblema. Conquista também emblemática para a última Copa do Mundo de Marta, nossa maior jogadora da história. Marta é fora da curva? Sim. Mas destacar-se em meio a tantas craques brasileiras não é fácil, mesmo para a Marta.


A lenda do Futebol Marta vai para a sua última Copa do Mundo com a camisa do Brasil. Reprodução: CBF

As comandadas de Pia Sundhage estão em uma boa fase e a expectativa é por jogaços, mesmo com polêmicas em torno de convocações como a da goleira Bárbara e da zagueira Mônica, escolhidas pela experiência na competição, apesar de não terem participado do ciclo pós-Tóquio 2020. No dia 24 de julho vamos estrear contra o Panamá, em Adelaide, no dia 29 de julho teremos o jogo mais esperado da primeira fase contra a França em Brisbane e no dia 2 de agosto fechamos a primeira fase contra a Jamaica, repetindo o jogo de estreia da Copa 2019, em Melbourne.

Renata Silveira será a primeira mulher a comandar as transmissões dos jogos do Brasil em uma Copa do Mundo Feminina na TV Globo. Reprodução: Grupo Globo.

Os jogos serão transmitidos em TV aberta na Globo e na TV fechada pelo SporTV. Na internet pelo ge.globo e na Cazé TV (nos canais do YouTube e da Twitch). Na Globo, teremos pela primeira vez uma narradora no comando dos jogos do Brasil, com Renata Silveira na voz e comentários de Ana Thaís Mattos e Caio Ribeiro.


No SporTV, os principais jogos serão transmitidos com maioria feminina nas equipes de transmissão, mas com os jogos do Brasil narrados por Luiz Carlos Jr., que é uma das principais vozes do canal, já apoia e acompanha nossa Seleção Feminina em Copas e desde 1999, além das partidas em Jogos Olímpicos.


A Cazé TV irá transmitir os 64 jogos, coordenada pela LiveMode, que possui os direitos de transmissão das competições da FIFA até o fim de 2024.


Para este Mundial, temos uma tendência que será vista nos próximos anos na mídia esportiva e demonstra como o mercado vê as audiências do futebol feminino. Essa tendência é uma evolução em relação à cobertura da Rede Globo ao Brasileirão Feminino, criticada por ter em TV aberta somente os jogos de mata-mata e poucos jogos com transmissão pelo SporTV.

Agora a Globo irá transmitir 7 jogos, com prioridade para os jogos do Brasil. É algo que ela já faz historicamente em outras competições, como Copa América, UEFA Euro e competições de outros esportes, priorizando a programação em detrimento do evento. Esperamos, inclusive, que as 7 partidas da competição transmitidas pela emissora sejam as do Brasil e que a Seleção chegue até a grande final. Quem sabe um clássico contra os Estados Unidos, a melhor seleção do planeta e nossa maior rival no Futebol Feminino? Porém, o limite de 7 jogos impede mais jogos de outras seleções em TV Aberta, o que continua a dificultar a consolidação do público com o esporte.

Agora, imagine o quão benéfico para uma emissora como Band ou SBT seria transmitir todos os jogos do torneio para o público, ainda mais em um horário que não prejudica a sua programação. Principalmente porque hoje em dia o público é muito maior que em 2007, quando o Brasil chegou na final com o fantástico time de Marta, Cristiane, Formiga, Maycon e cia. Até 2015 era bem complicado achar os poucos jogos na programação, pois eram muito mal divulgados até pela própria imprensa esportiva brasileira, apesar das transmissões serem feitas no SporTV e na Band.


A Cazé TV, do streamer Casimiro, irá transmitir os 64 jogos, com Fernanda Gentil como correspondente direto da Austrália. Reprodução: Livemode

Mesmo que a tradição esportiva do Brasil seja glorificar e priorizar somente os times e atletas que estejam vencendo, não podemos perder mais oportunidades de popularizar o esporte dentro do país e formar novas jogadoras através do exemplo.


Só por isso, já é louvável a Globo transmitir todas as partidas do Brasil. E mais louvável ainda que tivéssemos os 64 jogos transmitidos aqui em televisão, o que irá ocorrer apenas na Cazé TV. Nesse caso, o único impedimento para audiência nacional é a falta de uma conexão boa de internet em várias regiões do Brasil.

O pouco investimento no Futebol Feminino também é um problema verificado fora do país, com a FIFA reclamando publicamente que as propostas de transmissão vindas de mercados como Europa e Estados Unidos foram consideradas baixas para a competição, que é uma das prioridades de valorização financeira da FIFA nos últimos anos.


Por mais que o foco da audiência seja em jogos do Brasil, imagine a influência de outros nomes além das brasileiras, para meninas em todo o país em seus jogos. Nomes como Megan Rapinoe, Alex Morgan, Sam Kerr, Alexia Putellas e Lucy Bronze poderão e deverão ser mais conhecidas além da bolha e a Copa do Mundo é a oportunidade perfeita para isso.

Por fim, entendo perfeitamente os motivos, principalmente financeiros, de que não temos tantas transmissões abertas por aqui.


Afinal, a própria Globo mudou o seu modelo de negócio de transmissões esportivas em prol de uma melhor saúde financeira da empresa. Mas são oportunidades de negócio como essa que estão quicando para virarem golaços, ainda mais quando estamos em uma campanha pela candidatura de sede para Copa do Mundo Feminina de 2027, na qual o apoio da mídia é fundamental.

São incontáveis histórias de atletas do Brasil, nos mais variados esportes, que foram influenciados pelas grandes competições de Futebol, Basquete, Vôlei, Ginástica e, principalmente, Jogos Olímpicos. Com mais exposição, teremos mais investimentos, mais qualidade e, acima de tudo, um produto extremamente qualificado.

Como um bônus, deixarei aqui os jogos do Brasil na Primeira Fase e onde irão passar. Boa sorte para a nossa Seleção, rumo à conquista inédita. Que novas crianças sejam influenciadas pelo exemplo dessas atletas sensacionais.



24/08/2023 – 08:00

BRASIL X Panamá

Transmissão: Globo, SporTV, ge.globo e CazéTV (YouTube e Twitch)


29/08/2023 – 07:00

França X BRASIL

Transmissão: Globo, SporTV, ge.globo e CazéTV (YouTube e Twitch)

02/09/2023 – 07:00

Jamaica X BRASIL

Transmissão: Globo, SporTV, ge.globo e CazéTV (YouTube e Twitch)


E para você? Quais são as suas expectativas para a Copa? A nossa Seleção vai conseguir trazer a Primeira Estrela? Deixe nos comentários abaixo.


*Este é um conteúdo da Afro Esporte, porém o texto acima não reflete necessariamente a opinião da Afro Esporte.



Posts recentes

Ver tudo

1 comentario

Obtuvo 0 de 5 estrellas.
Aún no hay calificaciones

Agrega una calificación
Invitado
21 jul 2023
Obtuvo 5 de 5 estrellas.

Futebol feminino é emocionante. A garra da mulher na vida é a garra da mulher em campo. Elas voam baixo e criam muito. Nunca vi qualquer homem que critica o futebol feminino ser capaz de vencer qualquer atleta nossa, mesmo que fosse numa quadra Society, de rachão.

Me gusta
bottom of page