Atletas negros e a mídia - como as redes sociais aumentam o “tempo” de vida dos atletas


A publicidade sempre ajudou muito a complementar a renda de muitas celebridades que, por meio do seu sucesso, eram pagas para propagar produtos e serviços de determinadas marcas. Com as redes sociais isso tem se potencializado ainda mais e atletas são alguns dos profissionais que têm a oportunidade de “surfar nessa onda”.






Antes de falar da atualidade eu queria te provocar a voltar nos anos de eclosão do cinema. Pensa na Marilyn Monroe com seus vestidos brancos flutuantes. Todas as mulheres queriam ser a Marilyn Monroe. Elas saíam do cinema querendo os perfumes, os sabonetes, tudo que a artista usasse porque assim elas se sentiam parte do que a Marilyn era.


Isso foi na década de 30, do século passado. Desde então o mundo passou por diversas mudanças, novos meios de comunicação, veio o rádio, veio a TV, veio a internet, veio os streamings e sabe o que não mudou, pelo menos em sua essência? A publicidade.


É a publicidade que continua fomentando as “estrelas” que não param de crescer e, hoje, não se restringem somente às estrelas do cinema e/ou audiovisual. Nesse combo estão também os atletas.


Todo mundo sabe o quanto é curta a “expectativa de vida profissional” de um atleta. Dependendo do esporte, aos 20 anos ele já é considerado “velho demais”, aos 30 já está caminhando para aposentar. E é nessa hora que ele começa a avaliar suas redes de parcerias e em muitas delas começa a virar embaixador, comentarista esportivo e etc.


Mas a publicidade não entra depois que ele para, pelo contrato, costuma vir quando ele está no auge. Você pode perceber como vários atletas da atualidade estão “registrados” com alguma marca, parceiros. Independente do seu time, da sua equipe, ele tem suas parcerias pessoais e ela muitas vezes é a sua maior fonte de renda.


O que pensar disso tudo?


Que as redes sociais hoje tem um impacto enorme na vida profissional das pessoas e principalmente em algumas profissões. Você pode até escolher viver sem ela, mas irá lidar com as consequências de muitas vezes não ser tão lembrado ou procurado.


As redes sociais são o lugar onde você se projeta. É como se fosse a sua vitrine. E bem sabemos que lá no começo de tudo, ali onde eu citei na década de 30 do século passado, profissionais negros não tinham as mesmas oportunidades que os brancos em aparecer nas telas e, por conquência, conseguir um trabalho publicitário.


Hoje ainda sabemos como é difícil. Há estudos que mostram até como os próprios algoritmos restringem conteúdos de pessoas pretas. Mas é inegável que hoje há muito mais abertura do que se tinha antigamente. Por isso, é a hora de usar e saber usar.


Para se inspirar


Veja abaixo alguns bons exemplos de atletas negros que visivelmente lucram com parceirias, visíveis em suas redes sociais.



*Imagem do instagram pessoal da atleta.




*Imagem do instagram pessoal da atleta.





*Imagem do instagram pessoal da atleta.





*Imagem do instagram pessoal da atleta.












Autora:

Mariana Virgílio


*Esse texto expressa a opinião da autora, juntamente com algumas fontes, que cito abaixo. A principal foi minha própria conclusão de curso, no qual estudei o papel social do artista na sociedade.

CORRÊA, Mariana - O surgimento do star system e sua potencialização com os meios de comunicação: análise das manifestações contra o Governo Temer - Link do artigo: https://portalintercom.org.br/anais/sudeste2018/resumos/R63-0429-1.pdf

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo